Últimas Publicações / Camisa do goleiro Rafael Cammarota, do Grêmio Maringá, doada ao MEM por Bernardo Alberto Galeli, o Beto da Central Carnes

Relíquia de 40 anos
Fã de Rafael Cammarota, goleiro que atuou no Grêmio de Esportes de 1979 a 1981, Bernardo Alberto Galeli conhecido como Beto da Central Carnes, 53 anos, doou uma camisa do seu ídolo ao Museu Esportivo de Maringá. Goleiro nos seus tempos de garoto, Beto acompanhava os jogos do Grêmio Maringá e os camisas número 1 eram os que lhe chamavam mais atenção. Nomes como Leonel, Luís Andrade, Luís Antonio, Rafael Cammarota, Leonel, Rubens, Róbson e Jorge Hipólito ficaram registrados na sua memória. Beto, da Vila Operária e estudante do Colégio João XXIII, torcedor do Grêmio Maringá e do Santos, tem, entre todos os goleiros que viu atuar no Galo do Norte, Rafael Cammarota como seu maior ídolo.
Sobre a camisa, provavelmente de 1981, Beto conta que um tempo atrás estava na casa do seu pai quando ficou sabendo: “Ele me perguntou se eu não ia levar a camisa do Grêmio que estava na casa dele. Não me lembrava desta camisa e não me lembro se ganhei nem quando. Talvez tenha sido meu pai quem ganhou e confundiu achando que era minha. Espero ter ajudado o Museu Esportivo com esta relíquia. O Rafael é um goleiro que sempre admirei.” O pai de Beto é uma pessoa bastante conhecida na cidade. É o pioneiro Genuino Armelindo Galeli, de 87 anos, o Gino Careca, que durante nove anos foi cobrador do Clube Olímpico de Maringá, que, assim como o filho, também era torcedor ferrenho do Grêmio Maringá.
Rafael Cammarota, amigo do Museu Esportivo, atualmente residindo em São Paulo, ficou sabendo por intermédio da gente a história da sua camisa e disse que presenteou torcedores do Grêmio com camisas poucas vezes. Ele se recorda do seu padrinho de casamento Armando Barbara, que era proprietário da loja de equipamentos para escritório Barbirene, a quem ele deu uma camisa, e também Nelito Ribeiro, que foram dirigentes do Grêmio Maringá. 
Rafael enviou uma mensagem ao Beto da Central Carnes: “Beto, fico contente de você ter encontrado esta camisa com o seu pai. Se esta camisa estava com seu pai é porque ele era um grande amigo meu quando joguei em Maringá. Fico contente, Beto, por vocês terem guardado esta camisa por tanto tempo. Muito obrigado, fico contente, emocionado. Agradeço de coração”.   
#museuesportivodemaringa #amigosdomuseuesportivo

Galeria de Fotos

Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Enviar Comentário


Outras Publicações

Time amador do Rio Branco Esporte Clube, de Maringá. Campeão da Liga de Futebol Regional de Maringá, 1975
O jogo imaginário de um time inesquecível do Country Club Maringá (texto de Antonio Roberto de Paula)

O amigo do Museu Esportivo, Jorge Inocente Soriano, diretor do Country Club Maringá, me pediu que escrevesse um texto sobre um jogo imaginário. Uma homenagem a onze atletas e um treinador do Country já falecidos. Topei o desafio. Só conhecia alguns deles. Então, pedi ao Jorginho que me desse as características dos jogadores, posições e estilo de jogo. Acabei escrevendo dois textos; o da partida, "O jogo da saudade", e um outro,

Laércio José Alves e o filho Cássio doam ao MEM camisa antiga da Prudentina, nove bonés e selo histórico

O pioneiro maringaense, Laércio José Alves, um dos primeiros redatores esportivos de Maringá, tendo trabalhado no O Jornal, na década de 1950, e seu filho Cássio Marcelo de Oliveira Alves doaram ao Museu Esportivo de Maringá uma camisa de 1985 da Associação Prudentina de Esportes Atléticos, tradicional clube paulista, fundado em 26 de outubro de 1936, da cidade de Presidente Prudente.

Laércio, que tem o apelido de

Falcão no Museu Esportivo, um dia para ficar na história - 27 de julho de 2019.

(Texto do diretor do Museu Esportivo, Antonio Roberto de Paula)

Estava tudo certo para o Falcão ir ao Museu Esportivo na sexta-feira (26), mas não deu certo. Compromissos com o patrocinador o impediram. Ficou para o dia seguinte. Assim como na sexta, cerca de cem pessoas foram à sede do MEM para ver, cumprimentar, pedir autógrafo, fazer fotos, selfies e gravar vídeos com o maior jogador da história do futsal.

E Falcão veio,

 Rua Pioneiro Domingos Salgueiro, 1415- sobreloja - Maringá - Paraná - Brasil

 (44) 99156-1957

Museu Esportivo © 2016 Todos os diretos reservados

Logo Ingá Digital