Últimas Publicações / O início do futebol amador em Itambé-PR

Informações e fotos do blog de Denizia Moresqui (www.deniziamoresqui.blogspot.com).

 De acordo com Vera Eloísa de Melo Assis, o primeiro campo de futebol do Distrito de Itambé foi feito num terreno doado por João Cortez Cappel na esquina das Ruas Dr. Lafayette Grenier com a Rua Luiz Lopes. Vera diz que as crianças brincavam muito neste campo. Mais tarde, Cortez decidiu lotear este terreno e doou outro, ao lado do cemitério, para a instalação de outro campo, que foi feito pelo Prefeito de Marialva, Armando Moura, por volta de 1954, com o nome de Comercial.

 Anos mais tarde, o campo recebeu o nome de Goiabão, uma homenagem ao Prefeito Gibson Linhares Monteiro que foi um grande incentivador do esporte e tinha o apelido de Papa Goiaba. Ainda na década de 50, Rafael Lopes fez um campo chamado Pó de Serra, por ser propriedade da serraria. 

Segundo o relato do Dr. Mauro Nakamura, o esporte mais difundido nos primeiros anos de Itambé foi o futebol de campo, seguido pelo jogo de bocha para idosos, malha e o jogo de baralho, na modalidade truco. Na zona urbana e rural, chegaram a se formar cerca de 23 equipes de futebol, na cidade havia duas: o Comercial e o Pó de Serra. Os times disputavam entre si no campeonato intermunicipal e arrastavam multidões para os jogos. Mais tarde, surgiu uma equipe juvenil, o Alvorada, nome dado porque os atletas treinavam de manhã. Este time disputou o Campeonato Amador pela Liga Regional de Maringá, nos anos 70.

Um time que se destacou no cenário regional foi o Itambé Atlético Clube. A equipe disputou o campeonato amador regional em 1971, ficando com o vice-campeonato. Os jogos foram promovidos pela Liga de Futebol de Maringá, mais ou menos trinta equipes participaram do evento. 

Se você tem mais informações sobre este assunto, envie para nós pelo e-mail [email protected]

Legendas das fotos 

O campo era chamado de Pó de Serra, a moça com a taça e o menino com a bola - crédito da foto: Eurípedes Mariano da Silva.

A equipe do Comercial, uniforme escuro - crédito da foto: família Claro.

A equipe do Alvorada - mulheres e crianças à frente - crédito da foto: Prefeitura de Itambé.

O time do Itambé Esporte Clube, 1971, uniforme claro - crédito da foto: Jovânio Pereira dos Santos. 

Galeria de Fotos

Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Enviar Comentário


Outras Publicações

Sérgio Abujanra, 80 anos, seu nome é basquete

Maringá, 3 de junho de 2020

Carta ao querido Sérgio Abujanra

 

Sérgio Abujanra, 80 anos, pioneiro de Maringá, uma vida ligada ao esporte. Você diz Sérgio Abujanra e logo o esporte vem junto. Você pega um jornal antigo, lá dos anos 70, você vê Sérgio Abujanra, secretário de esportes do Município inaugurando o Ginásio de Esportes Chic

Pioneiro da Vila Operária, barbeiro Gaudêncio Uehara doa camisa do saudoso Ferreirinha ao Museu Esportivo

A camisa 8 do Grêmio de Esportes Maringá, usada por Ferreirinha em 1977, ano em que o Grêmio Maringá foi campeão Paranaense, agora é peça do acervo do Museu Esportivo. A relíquia foi doada pelo barbeiro da Vila Operária, Gaudêncio Uehara. 
Ele esteve no Museu Esportivo no dia 1º de junho de 2019 quando Itamar Bellasalma também esteve. Cercado de torcedores curiosos com a relíquia, o barbeiro

Familiares do saudoso goleiro Danilo, da Chapecoense, visitam o Museu Esportivo

O nosso amigo Hector Consani, designer e artista plástico, criador da logomarca do MEM, levou ao Museu Esportivo, no dia 24 de agosto de 2019, sua esposa Daniela, sua mãe Nice e os tios Nilson e Laíde, estes últimos moradores em Cianorte. Este ano, Hector havia levado seu sogro Davi Toledo, que jogou futsal na juventude pelo Centro Português de Maringá e que doou fotos de 1968.

Nilson e Laíde são pais do goleiro Danilo, da

Camisa de 1999 do Grêmio Maringá para o Museu Esportivo

O ex-árbitro maringaense Valdomiro José Barbosa esteve no Museu Esportivo de Maringá, no dia 25 de janeiro, revendo dezenas de amigos do tempo em que apitava e bandeirava jogos do futebol amador. Na ocasião ele doou ao MEM uma camisa polo do Grêmio Maringá, de 1999, que era utilizada por membro da comissão técnica do clube. Em 1999, o time maringaense foi campeão da Copa Paraná e a diretoria do GEM passou a usar no uniforme

“Quilômetros de papel e rios de tinta imprimem o futebol ao longo dos anos, atravessando gerações. Na era digital, as Imagens avançam pelos céus, rompem todas as fronteiras. As vozes do amor ao futebol ecoam pelo grande campo que é o mundo. Agora, em algum lugar, alguém chuta uma bola. A paixão mais documentada da história não para. O jogo nunca termina.”

(Antonio Roberto de Paula)

 Rua Pioneiro Domingos Salgueiro, 1415- sobreloja - Maringá - Paraná - Brasil

 (44) 99156-1957

Museu Esportivo © 2016 Todos os diretos reservados

Logo Ingá Digital