Últimas Publicações / Salve, salve alvinegro do norte!

Quando me perguntam sobre o ITGEM, o Instituto dos Torcedores do Grêmio de Esportes Maringá, digo que não participo das reuniões, desconheço as diretrizes e os encaminhamentos da diretoria para resgatar o clube. Ao mesmo tempo ressalto que conheço alguns membros há muito tempo, tenho respeito por eles porque são sérios, têm credibilidade e são realmente torcedores do Grêmio de Esportes Maringá.
Espero que eles consigam pôr o clube para funcionar. Já conversei com o Antonio Souza Reis, que está muito confiante e transmite esta confiança aos demais. Edeval Zinho e Tião Oliveira são pessoas que conheço e sei do amor deles pelo futebol e pelo clube. A parceria com o Seleto Maringá, do amigo Edson Lima, o Lambari, pessoa por quem que tenho o maior respeito, pois é um abnegado, um lutador, foi uma brilhante iniciativa que torço para que dê bons resultados para os dois clubes e para a cidade. 
Vejo como uma difícil missão resgatar o Grêmio de Esportes Maringá, mas, como não há mal que tanto dure, tenho a esperança de que esses apaixonados torcedores serão bem-sucedidos. O Galo do Norte do Paraná virou chacota nacional, uma piada de mau gosto, uma tristeza para a cidade e para a região. Revoltante saber o que um sujeito chega à cidade, adquire uma marca de grife e sai por aí distribuindo vexames em nome de um clube glorioso, de uma torcida apaixonada e de uma cidade que é uma das melhores do Brasil para se viver. E ninguém ainda conseguiu deter o ímpeto deletério, interromper o arsenal da vergonha que sempre acompanha o nome “Grêmio de Esportes Maringá”. 
Acompanho o futebol de Maringá desde a década de 1960, primeiro como torcedor, depois como profissional da imprensa. Clubes foram fundados e extintos nessas décadas. No caso específico do Grêmio de Esportes Maringá, ele foi usado e abusado mais do que os demais que ficaram na poeira do tempo, uma marca forte que serviu para muita gente se promover na iniciativa privada, no poder público e na imprensa. O clube alvinegro de tantas glórias se tornou trampolim, moeda de troca. Em nome do amor e da paixão, muita gente se deu bem e o estropiado Galo do Norte foi caindo na vala dos derrotados, primeiro dentro de campo e depois nas manchetes danosas que foram gradativamente minando a sua sobrevivência. Hoje, o Grêmio é um cadáver insepulto que gente abnegada pode fazer o milagre de ressuscitá-lo. 
Agora, sem amarras políticas, pelo que me consta, sem interesse outro que não seja o de renascer o clube, pelo que eu saiba, surge o ITGEM. Que seja este instituto a tal luz do final do túnel, a esperança, o cessar do sofrimento, o retorno ao local de onde o clube estava antes de ser jogado na lama. 
Sempre que converso com os amigos sobre o futebol profissional de Maringá digo que um clube não inviabiliza o outro. Que o Maringá Futebol Clube siga o seu caminho, que faça a sua história, que seja longa, que contrarie o passado dos extintos. Já o Grêmio de Esportes Maringá, que seja resgatado, ressuscitado, retirado dos escombros moral e ético, da lama em que foi jogado.
No Museu Esportivo de Maringá, não queremos somente as antigas camisas alvinegras maringaenses com suas histórias em exposição, não queremos somente nossos queridos e históricos craques contando suas glórias. Também queremos um novo tempo para fazer, contar e mostrar novas histórias gloriosas. Vai Grêmio!! Vai recomeçar sua bela história!!

(Antonio Roberto de Paula, jornalista, escritor e diretor do Museu Esportivo de Maringá)
www.museuesportivodemaringa
#museuesportivodemaringa
#amigosdomuseuesportivo

Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Enviar Comentário


Outras Publicações

Museu Esportivo de Maringá e Kaltoé na UEM TV
Museu Esportivo de Maringá recebe camisas do time de futebol e do bloco de Carnaval do distrito de Bonsucesso, Várzea Grande, Mato Grosso

O diretor do Museu Esportivo de Maringá, Antonio Roberto de Paula, com Odalvir Nardino e Gabriel Kara Neto, no último domingo (1º/11/20) em Bonsucesso, distrito de Várzea Grande, Mato Grosso. O professor Gabriel, que tem propriedades lá e participa ativamente da vida da comunidade, doou quatro camisas de Bonsucesso para o acervo do MEM: um do Inter, time de futebol, e três, dos anos de 2010, 2011 e 2014, do Bloco de Carnaval Piranhas, que é sucess

Deprá faz doação de camisa da AABB e revista histórica

 

O amigo Marco Antonio Deprá, do Banco do Brasil, maringaense pesquisador da história da cidade, esteve no Museu Esportivo de Maringá e fez duas doações: uma camisa da Associação Atlética Banco do Brasil de Maringá e um exemplar da revista Paraná Esportivo, de 1977, edição histórica do título estadual do Grêmio de Esportes Maringá. Honrado com a visita e agradecido pe

Dr. Sócrates

Reginaldo Benedito Dias fala de Sócrates: "Sócrates foi um dos mais impressionantes fenômenos do futebol mundial. Até os 23 anos, era um estudante universitário que combinava os estudos com atuação em um time profissional. Mesmo assim, destacou-se, foi artilheiro do campeonato paulista, despertou a atenção dos grandes clubes e teve seu nome cotado para ser convocado para a seleção brasileira. Em seu primeiro ano

“Quilômetros de papel e rios de tinta imprimem o futebol ao longo dos anos, atravessando gerações. Na era digital, as Imagens avançam pelos céus, rompem todas as fronteiras. As vozes do amor ao futebol ecoam pelo grande campo que é o mundo. Agora, em algum lugar, alguém chuta uma bola. A paixão mais documentada da história não para. O jogo nunca termina.”

(Antonio Roberto de Paula)

 Rua Pioneiro Domingos Salgueiro, 1415- sobreloja - Maringá - Paraná - Brasil

 (44) 99156-1957

Museu Esportivo © 2016 Todos os diretos reservados

Logo Ingá Digital