Últimas Publicações / A. A. de Assis, o maior trovador do Brasil, doa flâmula histórica ao Museu Esportivo de Maringá

O diretor do Museu Esportivo de Maringá, Antonio Roberto de Paula, conta como foi: 'Na terça-feira, 21 de julho de 2020, guardando a distância regulamentar e usando máscara, me encontrei com o querido amigo xará Antônio Augusto de Assis, o maior trovador do Brasil, carioca de São Fidélis, patrimônio de Maringá. O encontro foi no saguão do edifício, no centro da cidade, onde mora o Assis, professor aposentado e um dos primeiros profissionais da imprensa de Maringá, tendo pertencido ao quadro de redatores da histórica Folha do Norte do Paraná, inclusive foi o editor-chefe do jornal do saudoso bispo Dom Jaime Luiz Coelho. Assis doou ao Museu Esportivo de Maringá uma flâmula histórica comemorativa a um evento nacional pioneiro ocorrido na cidade há 54 anos: o 1° Festival Brasileiro de Trovadores, em 1966. Obrigado, amigo, por nos ajudar a contar e a preservar a história.'

De acordo com a professora aposentada e membro da Academia de Letras de Maringá, Agenir Leonardo Victor, 'Maringá entrou na história da trova ao promover, em 1966, o I Festival Brasileiro de Trovadores, que reuniu os mais prestigiados trovadores brasileiros da época, entre os quais Amaryllis Schloenbach, Aparício Fernandes, Barreto Coutinho, Carlos Guimarães, Carolina Ramos, Coubert Rangel Coelho, Durval Mendonça, Elton Carvalho, Eno Theodoro Wanke, Iraci do Nascimento e Silva, J. G. de Araújo Jorge, José Maria Machado de Araújo, Joubert de Araújo Silva, Leonardo Henke, Luiz Otávio, Maria Nascimento Santos Carvalho, Maria Thereza Cavalheiro, Octávio Babo Filho, Orlando Woczikoski, Rodolpho Abbud, Vera Vargas, Zálkind Piatigorsky. Maringá sediou mais três grandes festivais de trovas (1970, 1972 e 1977).'

#museuesportivodemairnga #amigosdomuseuesportivo

Galeria de Fotos

Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Enviar Comentário


Outras Publicações

Camisa histórica do início dos anos 1960 da extinta Portuguesa de Mandaguari doada ao MEM

Luiz de Canini era o dono da camisa 11 da Lusinha Mandaguariense; filho André fez a doação da raridade.

O Museu Esportivo de Maringá recebeu a doação de uma camisa da Portuguesa de Mandaguari, equipe que disputava os campeonatos amadores naquela cidade e amistosos na região durante a primeira metade dos anos 1960. 
Embora usasse o mesmo nome e as mesmas cores do clube paulista, o time pé-vermelho não estampav

Equipe de veteranos do Museu Esportivo de Maringá fez amistoso em Bonsucesso, Várzea Grande, Mato Grosso, dia 1º de novembro de 2020

Jogando amistosamente, em Várzea Grande-MT, a equipe veterana do Museu Esportivo de Maringá empatou com o time do Bonsucesso, do distrito do mesmo nome daquela cidade. A partida, realizada no estádio estádio Cândido Jordão de Magalhães, foi organizada pelo amigo-colaborador do MEM, professor Gabriel Kara Neto, que possui um chácara em Bonsucesso.
Os donos da casa inauguraram o marcador e ampliaram ainda na primeira etapa. Com

Zequinha da Vila Operária

Foto enviada pelo amigo do Museu Esportivo, Sergio Bertoni. É o craque Zequinha, Maringá, anos 60, com uma bola de capotão número 5. O campo era no pátio da Igreja São José Operário, na Vila Operária. O time era formado por coroinhas da Igreja e comandado pelo Padre alemão Helmuth. As traves, de madeira, er

Atlético Maringaense e Museu Esportivo, parceria que faz história

Atlético Maringaense Futebol Clube é parceiro do Museu Esportivo, parceria formalizada em julho deste ano quando começamos a definir as estratégias de divulgação das marcas MEM e AMFC.

O Atlético Maringaense Futebol Clube é um centro de formação cidadão-atleta e um clube de futebol recém-fundado em Maringá situado na avenida Rebouças, nº 328, Zona 10.

Em uma ótima

 Rua Pioneiro Domingos Salgueiro, 1415- sobreloja - Maringá - Paraná - Brasil

 (44) 99156-1957

Museu Esportivo © 2016 Todos os diretos reservados

Logo Ingá Digital