Últimas Publicações / Centro de Ciências Humanas da UEM, 1995

Nosso amigo do Museu Esportivo, Reginaldo Benedito Dias, envia foto (ele está nela) do time do Centro de Ciências Humanas, campeão do I Torneio Intercentros da UEM, em 1995.

É ele quem passa as informações e conta como foi a epopeia dos 'deuses da várzea' há 25 anos:

'Em pé (da esquerda para a direita): Sezinando Menezes, Neumar Godoy (reitor 1978-82), Reginaldo Dias, Celio Juvenal Costa, Wilson Teixeira, Roberto Valenzuela; agachados: Lucio Mota, Mario Luiz Neves de Azevedo (vice-reitor 2006-10), Angelo Priori (vice-reitor 2002-06 e reitor 2006) e Sérgio Thomaz. Também atuou, mas não pode comparecer para tirar a foto, o professor Dalton Moro.

Em 1995, o professor Fred Teles da Silva coordenou um evento esportivo experimental, um torneio de futebol entre os docentes da UEM, organizado a partir dos centros de ensino (Humanas, Exatas, Tecnológicas etc), O torneio foi realizado, de forma compacta, em dois sábados. Quem perdesse duas vezes estaria desclassificado. Formamos um time nas ciências humanas e fomos ao combate, sem ter noção de nossa força. No primeiro sábado, desentrosados e sem ritmo, perdemos uma das partidas. No segundo sábado, não tínhamos mais margem para erro. Adotamos, então, um esquema conservador, ou seja, ficamos na retranca confiando em algum contra-ataque e no goleiro para o caso da decisão por pênaltis. Contrariando as previsões e as nossas próprias expectativas, sobrevivemos e fomos para a final contra o forte time das Ciências Exatas, que tinha o craque (ex-reitor) Décio Sperandio e o temível e imarcável centroavante Gentil Vidotti (o pessoal do Country Club sabe como era difícil pará-lo). Por ter perdido uma vez e ter de enfrentar uma espécie de repescagem, nosso time chegou desgastado. Diferente era a condição do adversário, que chegou invicto e com menos jogos realizados. Para completar, como eles estavam invictos, o regulamento determinava que teríamos que ganhar duas vezes consecutivas deles. Para eles, bastaria uma vitória. Mas os deuses da várzea estavam ao nosso lado. Nos jogos anteriores, regra geral, sobrevivemos nas decisões por pênaltis. Na decisão do título contra o Centro de Exatas, porém, ganhamos as duas partidas com bola rolando, aproveitando as poucas chances de gol e fechando a casinha. Na primeira partida, fizemos um gol com menos de um minuto. Tudo parecia conspirar. No segundo jogo, mais confiantes, encaixamos um contra-ataque fulminante. Quando acabou, praticamente todo o time estava com câimbras. Mal tínhamos força para comemorar. O torneio acabou se consolidando com o nome de Intercentros. Com formato aperfeiçoado e realizado ao longo de várias semanas, houve várias outras edições, sempre com muita rivalidade e grande camaradagem entre os times. O CCH voltou a ser campeão, mas os títulos foram bem distribuídos ao longo da história do torneio. Fica a minha homenagem ao professor Fred Teles da Silva, o pai da ideia.

 

#museuesportivodemaringa #amigosdomuseuesportivo

Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Enviar Comentário


Outras Publicações

Amilcar Profeta doa fotos históricas ao Museu Esportivo

Nosso amigo do Museu Esportivo, Amilcar Machado Profeta, primeiro secretário municipal de Esportes da história de Maringá (1977-80) doou fotografias de equipes maringaenses nos Jogos Abertos do Paraná de 1980, realizados em Apucarana, quando a Cidade Canção foi campeã geral. Um documento importante de resgate e homenagem aos que marcaram seu nome no esporte local. Profeta foi atleta de basquete e handebol, defendendo Maringá durante d&ea

Força, Bugrão! Estamos torcendo por você!

Entramos em contato com o nosso amigo do Museu Esportivo de Maringá, o Pedro Biriba, de Sarandi-PR, pedindo informações sobre o estado de saúde do Bugrão, 60 anos, morador naquela cidade, campeão paranaense pelo Grêmio de Esportes Maringá, em 1977.
Biriba, amigo pessoal de Bugrão, nos informou que o ex-jogador está internado na UTI do Hospital Santa Rita e que seu estado inspira cuidados. Segundo Biriba, a famí

Salve, salve alvinegro do norte!

Quando me perguntam sobre o ITGEM, o Instituto dos Torcedores do Grêmio de Esportes Maringá, digo que não participo das reuniões, desconheço as diretrizes e os encaminhamentos da diretoria para resgatar o clube. Ao mesmo tempo ressalto que conheço alguns membros há muito tempo, tenho respeito por eles porque são sérios, têm credibilidade e são realmente torcedores do Grêmio de Esportes Maringá.
Espe

Família Cancilheri doa camisa de 1986 ao MEM

Oscar e Marcão no Museu Esportivo. Doação de camisa antiga. 
Conversa sobre o Jardim Alvorada, Mini Mercado São Marcos e o Jamelonça. Veja as fotos da visita e fotos antigas.

José Oscar Cancilheri e seu filho Marco Antonio Cancilheri doaram ao Museu Esportivo de Maringá uma camisa de 1986, do time de futsal do Mini Mercado São Marcos, da avenida Dr. Alexandre, no Jardim Alvorada. A equipe era dirigida pelo Oscar, do

“Quilômetros de papel e rios de tinta imprimem o futebol ao longo dos anos, atravessando gerações. Na era digital, as Imagens avançam pelos céus, rompem todas as fronteiras. As vozes do amor ao futebol ecoam pelo grande campo que é o mundo. Agora, em algum lugar, alguém chuta uma bola. A paixão mais documentada da história não para. O jogo nunca termina.”

(Antonio Roberto de Paula)

 Rua Pioneiro Domingos Salgueiro, 1415- sobreloja

 (44) 3029-9674

Museu Esportivo © 2016 Todos os diretos reservados

Logo Ingá Digital