Últimas Publicações / Canecas antigas são doadas ao MEM por Júlio Fregadolli e Silvio César Crispim

Nossos amigos e colaboradores Júlio Fregadolli e seu genro Silvio César Crispim estiveram no Museu Esportivo de Maringá no dia 6 de abril de 2019 acompanhando a Oração dos Enfermos realizada pelo Padre Julinho e o sorteio da rifa da super-cesta da Páscoa em prol do amigo Custódio André Neto. Na ocasião, eles doaram ao MEM onze canecas antigas, a maioria de festas de chope dos anos 1960 e 1970 realizadas em Maringá, em Mandaguaçu e Santa Fé.

Em 2018, Júlio Fregadolli doou ao MEM uma taça e um troféu conquistados pela Associação Comel de Maringá, equipe formada por por ele e que fez grande sucesso em Maringá e no Paraná nos anos 1970 e 1980. A taça é da conquista do Campeonato Amador Estadual - Copa Arizona - Dreher de 1981, competição que reunia 350 times e a Comel foi campeã. O troféu, de 1981, é de campeão do Sesi (Serviço Social da Indústria), oferta da Galeria dos Esportes. O quadro com a foto do time campeão de 1981 já havia sido doada ao Museu Esportivo de Maringá, entregue por Silvio Crispim também EM 2018.

Uma das canecas, da Federação Alemã de Futebol, era de Silvio Crispim, adquirida em 2006, lançada naquele ano em que a Copa do Mundo foi realizada naquele país. As demais pertenciam a Laura Moreno, já falecida, sogra de Fregadolli. São as seguintes:   Duas da 1ª Festa do Chopp de Maringá - Country Club e Formandos de 1966 da Faculdade Estadual de Ciências Econômicas, de 7 de maio de 1966; duas de modelos diferentes da 2ª Festa do Chopp de Maringá – Clube Cultural Recreativo Teuto Brasileiro e Country Club Maringá, de 6 de maio de 1967; 1ª Festa da Cerveja do Centro Português de Maringá, de 11 de abril de 1970; 1ª Festa do Chopp Pró Construção da Catedral da Nossa Senhora da Glória - Centro Português de Maringá, de 28 de novembro de 1970; 1ª Festa do Quentão do Centro Português de Maringá, de 5 de junho de 1971; 1ª Festa do Chopp em prol do Natal dos pobres, Mandaguaçu, de 1º de janeiro de 1972; 2ª Festa do Chopp, Santa Fé-PR, Recanto do Paraná, de Santa Fé, Clube Recreativo Santa Fé, 1972; e uma caneca sem identificação com pinturas em marrom, Porcelana Monte Sião-MG.

#museuesportivodemaringa

#amigosdomuseuesportivo

Esta matéria está no site www.museuesportivo.com.br

Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Enviar Comentário


Outras Publicações

Vicente Pimentel Dias, nome histórico do atletismo maringaense, parceiro do Museu Esportivo de Maringá, vencedor das primeiras provas Tiradentes

Vicente Pimentel Dias, doador ao Museu Esportivo de Maringá de troféu e medalha de duas de suas importantes conquistas, Iniciou no atletismo no ano de 1969 no Colégio Estadual Dr. Gastão Vidigal em Maringá. Neste mesmo ano foi campeão das Olimpíadas Escolares nas provas de 800 e 1.500 metros rasos. Em 1970 teve a sua primeira participação nos Jogos Abertos do Paraná na cidade de Ponta Grossa. Foi ca

Descanse em paz, mestre Reynaldo Costa

Descanse em paz, mestre Reynaldo Costa, criador do brasão de Maringá.
“Tudo que nos rodeia é simbólico, matemático e geométrico.” É com esta definição que Reynaldo Costa justificava o próprio interesse por bandeiras e brasões. Foi ele que, em 1964, quando trabalhava como desenhista gráfico, venceu o concurso, realizado pela Prefeitura, que definiu a bandeira e o brasão

GT Foods, a mais nova parceira do Museu Esportivo de Maringá

A GT Foods, uma das maiores empresas do país, é a mais nova parceira do Museu Esportivo de Maringá. Agradecemos ao amigo Ciliomar Tortola, o Cilinho, o apoio e a confiança no nosso trabalho de resgate da história e de preservação da memória esportiva. No dia 4 de novembro de 2021, Cilinho e a equipe de marketing da GT Foods estiveram no MEM num café da manhã com amigos esportistas quando foi formalizada a parceria. O direto

Country Club de Lupionópolis, 1971

Equipe de futsal do Country Club de Lupionópolis, 1971 Jogo de despedida do jogador Fuzil contra o Cacique, de Londrina. A quadra de cimento, ao fundo a sede social do Country. O craque Fuzil se transferiu justamente para o Cacique. Nessa época, tendo Fuzil e Anizinho como destaques, o time de Lupionópolis era imbatível na região, chegando a ficar quatro anos sem perder em casa, sendo derrotado para a grande equipe da Sociedade Esportiva Palmeiras em 1973. Q

“Quilômetros de papel e rios de tinta imprimem o futebol ao longo dos anos, atravessando gerações. Na era digital, as Imagens avançam pelos céus, rompem todas as fronteiras. As vozes do amor ao futebol ecoam pelo grande campo que é o mundo. Agora, em algum lugar, alguém chuta uma bola. A paixão mais documentada da história não para. O jogo nunca termina.”

(Antonio Roberto de Paula)

 Rua Pioneiro Domingos Salgueiro, 1415- sobreloja - Maringá - Paraná - Brasil

 (44) 99156-1957

Museu Esportivo © 2016 Todos os diretos reservados

Logo Ingá Digital