Últimas Publicações / Mário Valdovino e familiares visitam o Museu Esportivo

O Museu Esportivo de Maringá recebeu a visita, no dia 3 de janeiro, do senhor Mario Valdovino, 90 anos, da sua esposa Amélia, dos filhos Mair e Jair, dos netos Roberto e Mair Junior e dos bisnetos Gabriel e Rafaela (filhos do Gustavo, irmão da Roberta, e da Denise). A visita foi agendada pela neta Roberta, que registrou, assim como Mair Junior, com fotos e filmagens o passeio dos Valdovino ao Museu. 
O senhor Mário é uma figura das mais queridas do futebol amador de Maringá. Um apaixonado pelo esporte, que chegou com a família na década de 1960, vindo de Ourizona-PR, tendo sido presidente e vice-presidente da Liga Regional de Maringá, presidente do Departamento de Árbitros da liga, presidente do Esporte Clube Operário, dirigente da LEAM (Liga de Esportes Atléticos de Maringá), técnico de Maringá de equipes campeãs e vices de futebol nos Jogos Abertos do Paraná, técnico campeão amador pelo Esporte Clube operário e das divisões de base do Grêmio Maringá. 
Na juventude, ele conta que foi um ponta direita muito veloz e às vezes também atuava na meia-direita. Seus filhos Mair e Jair também foram bons de bola. Mair foi jogador profissional, meia habilidoso do Grêmio Esportivo Maringá no final dos anos 1960 e início dos anos 1970.
Muitas recordações na visita da família Valdovino. Seu Mario se emocionou ao ver fotos e camisas antigas e relembrou fatos da sua vida no futebol amador da Cidade Canção, em especial o título do Campeonato Amador conquistado pelo Esporte Clube Operário, da Vila Operária, em 1966, quando ele era o treinador. Ele prometeu que levaria os jogadores ao Rio de Janeiro se o time fosse campeão. 'Perguntei: vocês conhecem a praia? Ninguém conhecia. Então, tratem de ser campeões. Eles ganharam e levei eles para ver o mar', conta feliz.
Mair também ficou emocionado ao ver fotos antigas em que ele aparece nas formações do Galo do Norte. Emoções que despertaram belas histórias do senhor Mário, do Mair e e do Jair. Dona Amélia, calada a maior parte do tempo, foi lembrada pelo seu trabalho, sempre apoiando o senhor Mário na sua paixão pelo futebol. Não foram poucas as vezes em que eles abriam a casa para atletas profissionais e serviam refeições sem nada cobrar. Um trabalho humanitário, muito além de um prato de comida, apoio que transcendeu o esporte. A visita ao Museu foi um retorno aos anos 1960, 70 e 80 para o senhor Mario, dona Amélia e os filhos e também foi a certeza, pela emoção latente, que tudo valeu a pena. Para Roberta e Mair Junior, o orgulho de pertencer a uma família guerreira, apaixonada pelo futebol e pela vida. 

Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Enviar Comentário


Outras Publicações

Embarque para São Francisco do Sul

Delegação do Museu Esportivo de Maringá no embarque para São Francisco do Sul, Santa Catarina, no dia 7 de março de 2020. Saída no pátio do estádio Willie Davids.

Prefeito Ulisses Maia visita o Museu Esportivo de Maringá

O prefeito de Maringá, Ulisses Maia, esteve na última terça-feira (6) visitando o Museu Esportivo de Maringá acompanhado do secretário de Esportes do município, Walmir Fassina, dos vereadores Mário Verri (PT) e Onivaldo Barris e assessores da Prefeitura e da Câmara Municipal. Ulisses foi recepcionado pelo diretor do MEM, Antonio Roberto de Paula, a gerente Simone Labegalini e por ex-atletas do Grêmio Esportivo Maringá, do Gr&

MEM recebe peças do grupo O Canibal - Um ser primitivo na era atômica

Francisco Pinheiro Dantas, sócio-fundador do O Canibal - Um ser primitivo na era atômica, de Maringá, fez doação de peças comemorativas do grupo ao Museu Esportivo de Maringá. 
Na visita ao MEM, no dia 19 de novembro, Dantas entregou ao diretor Antonio Roberto de Paula três canecas, um copo, um suporte de mouse e um chaveiro, este último do Porky´s, grupo maringaense.
Dantas doou duas canecas, sendo uma come

Diretores do Museu Esportivo de Maringá visitam estátua de Bellini em Itapira-SP

Os diretores do Museu Esportivo de Maringá, Antonio Roberto de Paula e Simone Labegalini, estiveram no dia 2 de novembro na cidade paulista de Itapira conhecendo a estátua de Hideraldo Luís Bellini (1930-2014), capitão da seleção brasileira na Copa de 1958. O monumento, do escultor Clóvis Yamin, numa das entradas da cidade, na rua Armando Salles de Oliveira, é uma homenagem ao ilustre filho da terra, o primeiro capitão da sele&cce

“Quilômetros de papel e rios de tinta imprimem o futebol ao longo dos anos, atravessando gerações. Na era digital, as Imagens avançam pelos céus, rompem todas as fronteiras. As vozes do amor ao futebol ecoam pelo grande campo que é o mundo. Agora, em algum lugar, alguém chuta uma bola. A paixão mais documentada da história não para. O jogo nunca termina.”

(Antonio Roberto de Paula)

 Rua Pioneiro Domingos Salgueiro, 1415- sobreloja - Maringá - Paraná - Brasil

 (44) 99156-1957

Museu Esportivo © 2016 Todos os diretos reservados

Logo Ingá Digital