Últimas Publicações / Uma lembrança do avô Oldevar, torcedor do América-RJ, doada ao Museu Esportivo de Maringá

Morando em Maringá e fazendo mestrado na UEM, o carioca Márcio Ferreira da Cunha esteve no Museu Esportivo de Maringá em companhia do amigo Cássio Marcelo de Oliveira Alves no dia 2 de abril de 2019. Nesta sua primeira visita, Márcio fez a doação de uma peça de grande valor afetivo para a sua família: um boné do América Football Club, o alvirrubro do Rio de Janeiro, que pertenceu ao seu avô, Oldevar Gomes da Cruz Filho, falecido em 30 de maio de 2017. 
Oldevar nasceu no dia 13 de outubro de 1925, em Neves, bairro de São Gonçalo, no estado do Rio de Janeiro, fronteiriço a Niterói, cidade onde viveu até os 91 anos. Em 1940, ele entrou na marinha como aprendiz na tipografia da imprensa naval, tenso se aposentado em 1976 como revisor da imprensa naval. Em 22 de janeiro de 1949 casou-se com Zilda Ferreira da Cruz, ficando viúvo em 4 de junho de 1993. João teve quatro filhos nascidos em 1950, 1951, este faleceu com três meses de vida, 1953 e 1958.
Esportista nato, Oldevar jogou vôlei até os 74 anos. Sua grande paixão no futebol era o América, acompanhando as grandes conquistas do clube do Andaraí, como o Campeonato Carioca de 1960, a Taça Guanabara de 1974 e a Taça dos Campeões de 1982, competição nacional promovida pela CBF.
O neto Márcio conta que seu avô gostava de comentar sobre um jogo que ele assistiu na Copa de 1950, disputada no Brasil, no Maracanã recém-inaugurado: a goleada de 6 a 1 da seleção brasileira sobre a Espanha, jogo que ficou conhecido como o das “Touradas em Madri”. Naquele ano, esta marchinha, composta por João de Barro, o Braguinha, e Alberto Ribeiro, fazia muito sucesso, e a cada gol brasileiro, o público de mais de 152 mil pessoas cantava a música. Para muitos jornalistas e historiadores, Brasil 6 x 1 Espanha foi a melhor exibição da seleção brasileira no Maracanã e uma das melhores da história do time nacional. 
“Cada peça que recebemos no Museu Esportivo tem uma história e cada uma tem a sua particularidade. Agradecemos o Márcio por compartilhar conosco esta história e perenizar o nome do seu avô no Museu Esportivo de Maringá. Se no Rio os torcedores de outros clubes têm um pouco do América no coração, a partir de agora nós, do Museu, também temos”, afirmou o diretor do MEM, Antonio Roberto de Paula.

Fotos: 
Oldevar com as filhas Regina (mãe de Márcio) e Kátia em 2016
Oldevar com a camisa do América-RJ entre o neto Márcio (à direita) e o amigo Luiz Mauricio

#museuesportivodemaringa
#amigosdomuseuesportivo
Esta matéria está no site www.museuesportivo.com.br

Galeria de Fotos

Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Enviar Comentário


Outras Publicações

Descanse em paz, Oliveirão, nome histórico do Grêmio Esportivo Maringá

José Oliveira Dias, o Oliveirão, agora é só saudades. Ele nos deixou no dia 15 de dezembro de 2020, vítima de AVC. Antes havia sofrido outros dois. O “Pneu”, apelido que ele aceitava numa boa, escreveu uma bela história no futebol profissional de Maringá, mais importante ainda foi marcar seu nome na vida dos que o conheceram. Figura cativante era o Oliveira, sorriso fácil, jeito simples sem ser simplório, humilde, mas

Roupeiro Ely Lima doa ao Museu Esportivo de Maringá camisa do Águia Negra, bicampeão do Mato Grosso do Sul

O roupeiro Ely Lima, figura histórica do futebol profissional de Maringá, há mais de quarenta anos tabalhando no esporte, doou ao Museu Esportivo de Maringá uma camisa do Esporte Clube Águia Negra, da cidade de Rio Brilhante-MS, bicampeão estadual. Ely trabalha neste clube, fundado em 1971 e que conquistou quatro títulos sul-matorgossenses. Na entrega da camisa, no dia 11 de janeiro de 2020, Ely esteve no Museu Esportivo acompanh

Botafogo, 1949 com o cachorro Biriba

1949 - Botafogo com o cachorro Biriba, mascote do clube. 

Biriba o cãozinho da sorte do Botafogo
O Presidente do Botafogo na década de 1940, Carlito Rocha, era completamente apaixonado pelo clube. Numa goleada do Botafogo por 10 a 2 sobre o Madureira, um cachorro preto e branco invadiu o campo, como se estivesse comemorando o 10º gol. Foi o bastante. Carlito não teve dúvida e elegeu o animal como mascote do clube. A partir daí, o c

Museu Esportivo de Maringá recebe camisa histórica do Corinthians

Uma camisa do Corinthians, guardada durante 35 anos por um fanático torcedor foi doada ao Museu Esportivo de Maringá na noite do dia 20 de dezembro. A peça é de 1982, ano em que o Timão conquistou o Campeonato Paulista, e está autografada pelo Doutor Sócrates e seus companheiros. O maringaense Eduardo Ciriaco, que reside em Curitiba, fez a doação ao diretor do MEM, Antonio Roberto de Paula, na presença de torcedores corinti

“Quilômetros de papel e rios de tinta imprimem o futebol ao longo dos anos, atravessando gerações. Na era digital, as Imagens avançam pelos céus, rompem todas as fronteiras. As vozes do amor ao futebol ecoam pelo grande campo que é o mundo. Agora, em algum lugar, alguém chuta uma bola. A paixão mais documentada da história não para. O jogo nunca termina.”

(Antonio Roberto de Paula)

 Rua Pioneiro Domingos Salgueiro, 1415- sobreloja - Maringá - Paraná - Brasil

 (44) 99156-1957

Museu Esportivo © 2016 Todos os diretos reservados

Logo Ingá Digital