Últimas Publicações / Camisa histórica do início dos anos 1960 da extinta Portuguesa de Mandaguari doada ao MEM

Luiz de Canini era o dono da camisa 11 da Lusinha Mandaguariense; filho André fez a doação da raridade.

O Museu Esportivo de Maringá recebeu a doação de uma camisa da Portuguesa de Mandaguari, equipe que disputava os campeonatos amadores naquela cidade e amistosos na região durante a primeira metade dos anos 1960. 
Embora usasse o mesmo nome e as mesmas cores do clube paulista, o time pé-vermelho não estampava nenhum escudo em seu uniforme.
A camisa 11, que foi doada ao Museu, pertencia ao auxiliar de farmácia aposentado Luiz De Canini, hoje com 76 anos. 
Corinthiano roxo, ele veio do interior de São Paulo para Mandaguari com os pais e os irmãos em 1960 e pouco tempo depois começou a jogar nesse time. Quando a equipe foi desfeita, De Canini ainda jogou por mais alguns anos até pendurar as chuteiras em meados dos anos 1980. 
A raridade, sendo uma das camisas mais antigas do acervo do Museu Esportivo de Maringá, foi entregue ao diretor do MEM, Antonio Roberto de Paula, pelo filho de Luiz, o jornalista André De Canini, no dia 16 de fevereiro de 2019.
'Agradecemos ao amigo André por esta verdadeira relíquia, uma peça histórica de um clube mandaguariense que já não existe mais. A exposição desta camisa também representa uma homenagem aos jogadores daquela época, em especial o dono da camisa 11, o seu Luiz, pai do André', afirmou De Paula. 
As fotos de Luiz De Canini e do time da Portuguesa de Mandaguari são do arquivo pessoal da família Canini.
#museuesportivodemaringa
#amigosdomuseuesportivo

Galeria de Fotos

Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Enviar Comentário


Outras Publicações

Marcos Pena

Marcos Pena faleceu no dia 6 de abril de 2014, aos 85 anos

Ele foi presidente do Grêmio de Esportes Maringá em 1977, no ano do título estadual.

Glória isolada de um Grêmio de Maringá

“Naquela tarde de 2 de outubro de 1977, o torcedor maringaense comemorava o título sem imaginar que seria o último”

   Falta para o Grêmio no bico da grande área. A equipe mari

Morre Apucarana, aos 79 anos - Empunhando a bandeira da polêmica, do folclore e da temeridade, Elnio Silveira Pohlmann marca seu nome indelevelmente na história do futebol de Maringá, quer queiram, quer não queiram.

Conheci o Apucarana há muitos anos, mas sua fama chegou bem antes para mim. O saudoso Renato Taylor Negrinho o chamava de “Aprendiz de feiticeiro”. O também saudoso Antonio Paulo Pucca vivia às turras com ele. Elnio Silveira Pohlmann criava clubes, montava times e depois ia ver como pagar a conta. Foi colunista esportivo dos jornais da cidade, teve programas de TV, montou tabloides, promoveu eventos (noites de gala, campeonatos amadores e torneios

Publicitário Carlos Martins fala do Museu Esportivo de Maringá

“Quilômetros de papel e rios de tinta imprimem o futebol ao longo dos anos, atravessando gerações. Na era digital, as Imagens avançam pelos céus, rompem todas as fronteiras. As vozes do amor ao futebol ecoam pelo grande campo que é o mundo. Agora, em algum lugar, alguém chuta uma bola. A paixão mais documentada da história não para. O jogo nunca termina.”

(Antonio Roberto de Paula)

 Rua Pioneiro Domingos Salgueiro, 1415- sobreloja - Maringá - Paraná - Brasil

 (44) 99156-1957

Museu Esportivo © 2016 Todos os diretos reservados

Logo Ingá Digital