Últimas Publicações / Luiz Fabretti

O jornlista Luiz Fabretti, apresentador de TV, atuava na TV Maringá-Band, faleceu no dia 9 de março de 2017, aos 51 anos, vítima de um câncer no fígado. Apaixonado por futebol, começou sua carreira no rádio esportivo, atuando como sonoplasta, se tornando repórter e depois migrando para a televisão, tendo se formado em Comunicação Social na Faculdade Maringá. Amigo de longa data do diretor do Museu Esportivo de Maringá, Antonio Roberto de Paula, Fabretti foi um dos grandes apoiadores do nosso projeto de resgate e preservação da memória esportiva, sempre divulgando nossas atividades e promoções. Nos anos 1990 e 2000, era ele quem tratava amistosos do time da imprensa de Maringá e também jogava. Em 2009, ele e De Paula produziram o videodocumentário 'As Lentes de Kenji', sobre o fotógrafo pioneiro de Maringá, Kenji Ueta, que faleceu em 2020. Além do trabalho na Band, Fabretti estava escrevendo uma coluna política no Hoje, jornal já extinto, em 2017, ano em que faleceu.    

 

Release da Prefeitura de Maringá, de 9 de fevereiro de 2009 sobre 'As Lentes de Kenji':

Os jornalistas e produtores do video documentário “As lentes de Kenji”, Antônio Roberto de Paula e Luiz Fabretti visitaram a Prefeitura de Maringá nesta segunda-feira (9) e entregam cópias do trabalho ao Chefe de Gabinete Ulisses Maia. A Prefeitura apóia o trabalho dos jornalistas e irá adquirir 50 cópias que serão distribuídos para as escolas da rede municipal de ensino.
      “As lentes de Kenji” foi lançado e apresentado à população maringaense no dia 16 de dezembro de 2008, no Plenário da Câmara, com a presença de mais de 250 pessoas.
      Com apoio cultural da Sanepar, Amusep e UEM, o video documentário homenageia o fotógrafo Kenji Ueta, 81 anos, que chegou ao Paraná em 1951, se fixando em Maringá. O vídeo documentário narra a saga de Kenji e sua família desde o Japão, a viagem no Navio Santos Maru, a vinda ao Brasil, em 1933, o trabalho nas fazendas paulistas, o início da carreira como fotógrafo junto com os irmãos e a chegada em Maringá, quando a cidade ainda dava os primeiros passos.

Comentários

Seja o primeiro a comentar.

Enviar Comentário


Outras Publicações

O Diário do Norte do Paraná, JAP´s

Capa do jornal maringaense, O Diário do Norte do Paraná, de 23 de setembro de 1978. A 22ª segunda edição dos Jogos Abertos do Paraná foi realizada em Maringá. 

22º JOGOS ABERTOS DO PARANÁ - FASE FINAL
MARINGÁ - 22 A 30/09/1978

CLASSIFICAÇÃO FINAL


ATLETISMO FEMININO
1º Maringá
2º Rol&a

Hélio Pires fala da sua passagem pelo Grêmio Maringá em 1975, quando ganhou da torcida guerreira o troféu de melhor jogador do clube

João Hélio Pereira Pires, nascido no dia 22 de março de 1947, em Taquara, Rio Grande do Sul, iniciou a carreira na equipe juvenil do Grêmio de Porto Alegre, em 1965, onde se profissionalizou e permaneceu até 1969. Conhecido no futebol como Hélio Pires, o atacante se transferiu em 1970 para o Coritiba e, depois de ser tricampeão paranaense e campeão do Torneio do Povo, sendo o artilheiro, foi jogar, em 1973, na Portuguesa de Desportos e Sa

Os Nardino no Museu Esportivo de Maringá

Os Nardino foram ao Museu Esportivo de Maringá. Odalvir Nardino foi com o filho Everton e o neto Lucas. Everton doou uma camisa e um calção do tempo em que jogava na Amafusa. Odalvir, que foi dirigente da Amafusa, doou ao MEM troféus conquistados por aquele time de futsal que fez história no início

As filhas do Marco Aurélio com o Galinho

As irmãs Michelle e Francielle Rocha, filhas do goleirão Marco Aurélio Rocha, com Zico, uns 20 e poucos anos atrás. Marco Aurélio Saldanha Rocha, nosso amigo no Museu Esportivo, jogou no Flamengo de 1964 a 1971. (Foto: Arquivo pessoal da família Saldanha Rocha)

 Rua Pioneiro Domingos Salgueiro, 1415- sobreloja - Maringá - Paraná - Brasil

 (44) 99156-1957

Museu Esportivo © 2016 Todos os diretos reservados

Logo Ingá Digital